Conheça nossos cases de relacionamento de inovação


No LinkLab ACATE temos startups em todos os níveis de maturidade conectadas com as corporates por meio da inovação aberta. E você sabia que o relacionamento de inovação pode acontecer através de diversos tipos de projeto?


Por isso, elencamos os relacionamentos mais comuns por aqui e trouxemos as próprias startups para contar pra você! Ainda tem dúvida que a sua startup também pode fazer inovação aberta?

Inscreva-se no LinkLab

VALIDAÇÃO DE MVP


O objetivo é desenvolver uma primeira versão da solução, com pelo menos a função chave sendo executada, em um projeto piloto. Muitas vezes, utiliza o auxílio de planilhas ou mesmo interferência humana para executar o processo.


• Eduardo Mattos - CEO da Intexfy - conta como está sendo sua trajetória no LinkLab e como a validação do MVP foi essencial para evolução da solução e entrada no mercado.

APRIMORAMENTO DA SOLUÇÃO


Nem sempre a solução da startup se adequa perfeitamente às necessidades da corporate, não é?Nesse formato de relacionamento, a startup adapta seu produto inicial para atender a uma dor da corporate, muitas vezes mudando seu core-business.


• Pedro Fornari - CEO da Road Labs - conta que quando entraram no LinkLab aprimoraram a solução da startup para atender a um desafio da corporate, o que acabou ampliando a área de atuação, ganhando muito mais mercado e clientes.

PARCERIA COMERCIAL


Não necessariamente a corporate será o cliente direto da startup. No caso da parceria comercial, a corporate pode oferecer a solução da startup para a sua base de clientes, complementando seu portfólio, ou vice-versa. Há diferentes formas de parceria: indicação, representação comercial ou, até mesmo, realizar a integração da solução.


• Bruno Guimarães - CEO da WiFeed - encontrou no LinkLab uma parceria comercial com a corporate, onde um oferece a solução do outro como diferencial para os clientes, além de trazer visibilidade para a startup.

CORPORATE VENTURE CAPITAL


Corporate Venture Capital (CVC) é quando acontece a aquisição parcial ou total em troca de equity da startup por parte da corporate (viram sócios). Essa aquisição se faz necessária para injetar dinheiro na empresa para expandir o time, acelerar o desenvolvimento, ganhar escalabilidade, etc.


• Bruno Possodoni - CEO da Beon - recebeu investimento de uma corporate que sua startup está conectada no LinkLab. Esse investimento, junto com o apoio da corporate, serviu para aprimorar o produto e prepará-lo para a alavancagem comercial.

Inscreva sua startup no LinkLab!

VALIDAÇÃO DE POC


Nesse tipo de projeto, a startup faz a validação do conceito da sua solução em conjunto com a corporate. Não envolve nenhum tipo de ferramenta auxiliar ou linha de código, sendo o intuito validar se a proposta de valor resolve uma dor da corporate. Sendo o objetivo responder duas perguntas: "a solução da startup resolve a dor da corporate? (tecnologia)" e "Vale a pena desenvolver essa solução? (mercado e viabilidade)"


• E foi assim que a startup do Gabriel Accetta - CEO da Divid - acabou pivotando seu modelo de negócio B2C para B2B com apoio da corporate, ganhando mais escalabilidade para seu negócio.

MENTORIA


Startups em todos os níveis de maturidade podem receber mentorias, uma vez que consiste em encontros periódicos para discutir problemas/situações da startup. Deve ser conduzido por executivos/sócios com expertise nesses problemas (mentores).


• Busca-se conhecimento em vendas, marketing, mercado ou até mesmo sobre produto. E foi com a mentoria da corporate que a startup Domlexia - Representada pelo CEO Nadine Heisler - conseguiu definir seu modelo de vendas e ir pro mercado de forma consistente e preparada.

VENDA B2B DIRETA


É uma relação tradicional entre cliente e fornecedor. Funciona muito bem para as corporates que possuem desafios fechados e startups maduras e aderentes a eles.


• Neste caso, a startup que já tem sua solução finalizada e rodando no mercado, vira fornecedor da corporate - agregando ao seu portfólio um grande cliente - e também amplia as oportunidades de negócio, como nos conta Diego Costa, CTO da VC-X Solutions.

OEM / WHITE LABEL


Consiste em complementar o portfólio com a solução da outra parte, podendo manter as logos das empresas originais (OEM) ou apenas a endereçagem da empresa comercializadora (White Label).


• Em alguns casos, a solução da startup é complementar à solução da corporate e elas podem, juntas, formar um novo produto. Foi assim que Rangel - CEO da Keeps - integrou sua solução com a da corporate para irem ao mercado em conjunto.

PARCERIA DE TECNOLOGIA


Algumas corporates, em especial as de base tecnológica, possuem interesse de complementar seu portfólio de soluções. Nesse formato, a startup desenvolve uma nova solução em cima de uma tecnologia já existente.


• A startup pode incorporar a tecnologia da corporate com a finalidade de complementar sua própria solução, impulsionando seu modelo de negócio. Eduardo Mazzuco, membro da equipe LinkLab Primavera, traz alguns exemplos de tecnologias de corporates do programa que podem ser incorporadas.

CO-DESENVOLVIMENTO


Alguns desafios são complexos demais para serem realizados de forma unilateral. No Co-Desenvolvimento, corporate e startup trabalham conjuntamente, cada uma trazendo sua expertise, seja para solucionar um problema ou construir algo novo.


• Neste tipo de projeto, parte-se de uma tecnologia já existente onde a startup, em conjunto com a corporate, desenvolve uma nova solução inovadora. A nova solução possui propriedade intelectual compartilhada, gerando receita para ambos.

Inscreva sua startup no LinkLab!

Criado por LinkLab ACATE

linklab.acate.com.br